Uma modernidade-outra ou o hipermoderno

Samuel Mateus

Resumo


A contemporaneidade vive, ainda, sob o espectro da modernidade, seja como ruptura – exemplificada pela pós modernidade – seja como amadurecimento – exemplificado pelos diversos prefixos que se acoplam à “modernidade” para indicar a continuidade do seu projecto. Este artigo visa discutir a experiência do nosso tempo a partir da perspectiva de uma modernidade-outra mas modernidade ainda: a hipermodernidade. Em contraste com o projecto pós-moderno, a posição hipermoderna considera que nem todas as grandes narrativas modernas entraram em colapso. O que observamos é uma superlativização da modernidade com todas as implicações aí contidas. A inquietação, a incerteza e o risco surgem como consequências de o homem hipermoderno não dispor senão dos fundamentos imanentes à sua própria experiência e reflexividade. Daí o papel central do presente como a temporalidade a partir da qual as sociedades ocidentais contemporâneas se organizam.

Palavras-chave


Hipermodernidade; modernidade e pós-modernidade; presente; imediatez; hyperion

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17231/comsoc.18(2010).992

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 

 

 

 

 

 

...............................................................................................................

 

.:: LASICS ::.
Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS)
Universidade do Minho, campus de Gualtar
4710-057 Braga - Portugal

Revista Comunicação e Sociedade
ISSN 2183-3575 (online)
ISSN 1645-2089 (print)
Prefixo DOI: 10.17231