Sessão 6: Cruzamentos: Literatura, Coleção e Museus – Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “…O Silêncio da Terra…”

A sexta sessão do Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang” será realizada no dia 25 de junho, às 15 horas. A sessão “Cruzamentos: Literatura, Coleção e Museus“ contará com a participação de Alda Costa (Universidade Eduardo Mondlane/CECS), Lurdes Macedo (Universidade Lusófona/CECS), ambas investigadoras do projeto Cultures Past&Present, Mateus Pereira (ICS-Universidade de Lisboa), Branca das Neves (escritora angolana), José Luís Mendonça (escritor e jornalista) e Roberto Vecchi (Universidade de Bolonha). Moderação de Luís Cunha (ICS-UM/CRIA) e João Sarmento (ICS-UM/CECS), também investigadores do Projeto.

A sexta sessão será em formato híbrido e terá lugar na Sala de Atos do ICS, na Universidade do Minho, no Zoom e no Facebook.

O ciclo é organizado pelo Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT), pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS. NOVA.UMinho), pelo Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UMinho) e pelo Projeto Cultures Past & Present. 

Projeto CulturesPast&Present promoveu Encontro (Virtual) Seis Museus Africanos de Etnologia e Antropologia

Ao longo do dia 15 de junho foi realizado o I Encontro Virtual – Seis Museus Africanos de Etnologia e Antropologia reunindo museus de cinco países africanos lusófonos, nomeadamente, de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. O Encontro visou promover o diálogo entre os diretores e técnicos dos museus e os investigadores do projeto Cultures Past&Present, contando ainda com a presença de convidados, conforme referiu o investigador João Sarmento, co-organizador da sessão com as investigadoras Alda Costa e Catarina Simão.

Moisés de Lemos Martins, Diretor do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) e Investigador Responsável pelo Projeto Cultures Past&Present, abriu os trabalhos com a apresentação sobre o Museu Virtual da Lusofonia que recentemente passou a ser Unidade Cultural Académica da Universidade do Minho, do qual é diretor.

O evento foi dividido em três sessões temáticas, primeira parte “A criação dos museus e sua evolução” com moderação de Luís Cunha (ICS-UM/CRIA), segunda com o tema “Desafios atuais” moderação de Alda Costa (UEM/CECS) e a terceira sobre “Projetos futuros” com moderação de Catarina Simão. Participaram do Museu Etnográfico da Praia, de Cabo Verde, Samira Silva e Eugénia Alves; do Museu Etnográfico Nacional da Guiné-Bissau, Albano Mendes; do Museu Nacional de Antropologia de Angola, Álvaro Jorge; Museu Regional da Huíla, de Angola, Soraia Santos; do Museu Nacional de São Tomé e Príncipe, Manuel Lizarda; e do Museu Nacional de Etnologia de Nampula, Moçambique, Adriano Tepulo, Adolfo Norte, Antonio Ntimbanga e Maria Pascoela Tavares.

A iniciativa do Cultures Past&Present contou com apoio do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, Universidade Eduardo Mondlane e suporte Aga Khan Development Network e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, FCT.

Sessão 5 – “Unidade e Luta: O que foi, o que sobrou?” – Ciclo de Conferências e Mesas Redondas O Silêncio da Terra

A quinta sessão do Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang” será realizada na próxima sexta-feira, dia 18 de junho com o tema “Unidade e Luta: O que foi, o que sobrou?”, às 15h.

A sessão contará com a participação de Aurora Almada (IHC/FCSH), Fabrício Rocha (CES), Vasco Martins (CES), Catarina Simão (artista, investigadora independente e integrante da equipa do Cultures Past&Present), José Augusto Pereira (IHC/FCSH) e Raquel Ribeiro (Universidade de Edimburgo). A sessão será moderada por Bruno Madeira (CITCEM) e Rita Lucas Navarra (IHC/FCSH).

Os ciclos englobam 7 sessões, entre 14 de maio e 25 de junho, às sextas-feiras, às 15h – 18h, cada uma subordinada a uma problemática particular. Programa completo: http://www.lasics.uminho.pt/culturespastandpresent/?p=2031&lang=pt

As sessões têm formato híbrido presencial no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Minho e online no Zoom. Por motivos relacionados com a pandemia, a sessão 5 decorrerá apenas virtualmente pelo Zoom com transmissão pelo Facebook.

O ciclo é organizado pelo Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT), pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS. NOVA.UMinho), pelo Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UMinho) e pelo Projeto Cultures Past & Present. 

Sessão 4 – Da interseccionalidade dos corpos segregados: raça e género – Ciclo de Conferências e Mesas Redondas O Silêncio da Terra.

Nesta sexta-feira, 4 de junho, será realizada a quarta sessão do Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang” . O tema “Da interseccionalidade dos corpos seggregados: raça e género”, às 15h, com participação de Filipa Vicente, Emiliano Dantas, Cristina Sá valentim, Ana Balona de Oliveira e Sheila Khan, moderação Fátima Moura Ferreira (Lab2PT) e Alexandra Esteves (Lab2PT). 

Relembrando que o ciclo engloba 7 sessões, entre 14 de maio e 25 de junho, às sextas-feiras, às 15h – 18h, cada uma subordinada a uma problemática particular. Programa completo: http://www.lasics.uminho.pt/culturespastandpresent/?p=2031&lang=pt

A quarta sessão terá lugar no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Minho, no Zoom e no YouTube.

O ciclo é organizado pelo Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT), pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS. NOVA.UMinho), pelo Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UMinho) e pelo Projeto Cultures Past & Present. 

Sessão 3: “Trabalho, dominações e resistências” – Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “O Silêncio da Terra”

Na sexta-feira, dia 28 de maio, será realizada a terceira sessão do Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang”. A sessão “Trabalho, dominações e resistências” contará com a participação de José Carlos Venâncio (CECS/UMINHO, Universidade da Beira Interior, Portugal), José Pedro Monteiro (CES, Universidade de Coimbra, Portugal), Maciel Santos (CEAUP, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Portugal) e Paulo de Carvalho (Universidade Agostinho Neto, Angola), com moderação de Fernando Bessa (CICS.NOVA. UMinho) & Sheila Khan (CECS). Relembrando que o ciclo engloba 7 sessões, entre 14 de maio e 25 de junho, às sextas-feiras, às 15h – 18h, cada uma subordinada a uma problemática particular.

O ciclo é organizado pelo Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT), pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS. NOVA.UMinho), pelo Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UMinho) e pelo Projeto Cultures Past & Present.

Sessão 2 “Estética, política e linguagens cinematográficas” no dia 21 de maio – Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “…O Silêncio da Terra…”

A segunda sessão do Ciclo de Conferências e Mesas Redondas “Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang” será realizada na próxima sexta-feira, dia 21 de maio de 2021, a partir das 15 horas. Intitulada “Estética, política e linguagens cinematográficas I”, a sessão será realizada em formato híbrido (presencial e online) e contará com a participação de Ana Cristina Pereira (CES, Universidade de Coimbra), Kiluanje Liberdade (realizador, estudante no doutoramento em Estudos Culturais/UM ), Rosa Cabecinhas (CECS, Universidade do Minho), com a moderação de Francisco Ferreira (Lab2PT, Universidade do Minho). Ana Cristina Pereira e Rosa Cabecinhas são também investigadoras do projeto Cultures Past & Present.

O itinerário crítico deste ciclo desenha-se sob o horizonte da exposição O Silêncio da Terra. É seu objetivo promover questionamentos e reflexões interdisciplinares alargadas sobre a experiência do colonialismo tardio português, sob o prisma da coexistência dos tempos ou dos tempos entrelaçados.

Será realizada a transmissão dos filmes seguido pelo debate:

Uma festa para viver, Ruy Duarte de Carvalho, 35’, 1975 Documentário – Ruy Duarte de Carvalho

Deixem-me ao Menos Subir às Palmeiras…, 67’, 1975, Ficção – Joaquim Lopes Barbosa

O ciclo engloba 7 sessões, cada uma subordinada a uma problemática particular, a saber: arquivos, discursos e linguagens; trabalho: dominação e resistência; raça e género; movimentos emancipatórios; cultura e interações; linguagens cinematográficas: estética e política (2 sessões).

A segunda sessão terá lugar no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Minho, no Zoom e no YouTube.

Ana Cristina Pereira (CES, Universidade de Coimbra)

Ana Cristina Pereira é doutorada em Estudos Culturais, pela Universidade do Minho, com a tese ‘Alteridade e identidade na ficção cinematográfica em Portugal e em Moçambique’. Tem como principais interesses de investigação: racismo, identidade social, representações sociais e memória cultural no cinema, numa perspetiva pós-colonial e interseccional, sobre os quais tem editados vários artigos científicos em publicações nacionais e internacionais. Vem fazendo parte da equipa de projetos científicos sendo, no presente momento, investigadora do projeto (THE)OTHERING. É membro do NARP – Núcleo Antirracista do Porto.

Kiluanje Liberdade (Realizador)

Benguela – Angola, em 1976. Vive entre Braga e Luanda. Licenciado em Ciências da Comunicação e da Cultura (2003). Pós-graduado em Estudos Africanos, pelo ISCTE (2005). Actualmente, estudante no doutoramento em Estudos Culturais, pela Universidade do Minho. Autor do documentário “O RAP É UMA ARMA”, Premio Primeira Melhor Obra Documental, nos Encontros Documentais da Amascultura (1996). Co-autor de 6 documentários, onde se destacam “OUTROS BAIRROS” (1998), “OXALÁ CRESÇAM PITANGAS” (2004) e “LUANDA, A FÁBRICA DA MÚSICA” (2006). Foi realizador de televisão, durante 9 anos, na TVZimbo (primeiro canal privado de televisão em Angola).

Rosa Cabecinhas (CECS, Universidade do Minho)

Rosa Cabecinhas é professora no Departamento de Ciências da Comunicação do Instituto de Ciências Sociais e investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. É diretora do Programa Doutoral em Estudos Culturais na Universidade do Minho e coordenadora do Seminário Permanente em Comunicação e Diversidade.Tem desenvolvido investigação de natureza interdisciplinar e integra várias associações nacionais e internacionais nas áreas da comunicação, psicologia, educação e estudos culturais. Os seus principais interesses de investigação conjugam as áreas da comunicação intercultural, memória social, representações sociais, identidades sociais, discriminação social e diversidade. Entre as suas publicações, destaca-se o livro “Preto e Branco: A naturalização da discriminação racial” (2017, 2a edição).
ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1491-3420

O ciclo é organizado pelo Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT), pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS. NOVA.UMinho), pelo Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UMinho) e pelo Projeto Cultures Past & Present.

Ciclo de Conferências e Mesas Redondas: Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang

Na sexta-feira, dia 14 de maio de 2021, inicia o Ciclo de Conferências e Mesas Redondas Interpelações a partir d’ O Silêncio da Terra. Visualidades (pós)coloniais intercetadas pelo arquivo Diamang. Com um formato híbrido (presencial e online), a primeira sessão contará com a participação de Francisco Azevedo Mendes e Patrícia Leal.

O itinerário crítico deste ciclo desenha-se sob o horizonte da exposição O Silêncio da Terra. É seu objetivo promover questionamentos e reflexões interdisciplinares alargadas sobre a experiência do colonialismo tardio português, sob o prisma da coexistência dos tempos ou dos tempos entrelaçados.

O ciclo engloba 7 sessões, entre 14 de maio e 25 de junho, às sextas-feira, às 15h – 18h, cada uma subordinada a uma problemática particular, a saber: arquivos, discursos e linguagens; trabalho: dominação e resistência; raça e género; movimentos emancipatórios; cultura e interações; linguagens cinematográficas: estética e política (2 sessões).

A primeira sessão terá lugar na Sala de Atos do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, no Zoom  e no YouTube.

Programa
Dos arquivos contemporâneos às performances disciplinares – 14 maio
Francisco Azevedo Mendes(Lab2PT) & Patrícia Leal

Estética, política e linguagens cinematográficas I – 21 maio
Isabel Macedo (CECS) & Francisco Ferreira (Lab2PT) & Tiago Silva (CECS)

Trabalho, dominações e resistências – 28 maio
Fernando Bessa (CICS.NOVA. UMinho) & Sheila Khan (CECS)

Da interseccionalidade dos corpos segregados: raça e género – 4 junho
Fátima Moura Ferreira (Lab2PT) & Alexandra Esteves (Lab2PT)

Poder e movimentos emancipatórios– 18 junho
Bruno Madeira (CITCEM) & Rita Lucas Narra (IHC/FCSH)

Cruzamentos: cultura, literatura e museus– 25 junho
Luís Cunha (CRIA. UMinho) & João Sarmento (CECS)

Estética, política e linguagens cinematográficas II – 25 junho 21.30-23.30
Isabel Macedo(CECS) & Francisco Ferreira (Lab2PT) & Tiago Silva (CECS)

Coordenadores 
Fátima Moura Ferreira (Lab2PT)
Moisés Lemos Martins (CECS)
Fernando Bessa (CICS.UMinho)
Luís Cunha (CRIA. UMinho)

Trata-se de um ciclo organizado pelo Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT.UMinho), pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS. UMinho) e pelo Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UMinho) e Projeto Cultures Past & Present.

Disponível programa da II Conferência Internacional sobre cultura e sociedade dia 27 e 28 de maio

A II Conferência Internacional sobre Cultura e Sociedade – que literacia(s) para a justiça económica e social? será realizada nos dias 27 e 28 de maio de 2021 em formato online. As atividades iniciam a partir das 13h30 no horário de Portugal/Angola; 14h30 em Moçambique; 11h30 em Cabo Verde e 9h30 no Brasil. O programa completo já está disponível, confira anda alguns destaques da programação e da participação da equipa do projeto Cultures Past&Present.

A sessão de abertura contará com a presença de Martins Mapera – Diretor da FCSH, Universidade Zambeze/Moçambique e Moisés de Lemos Martins – Diretor do CECS, Universidade do Minho/Portugal, both of the Cultures Past & Present project team, Jorge Figueiredo – Embaixador de Cabo Verde em Angola e Moçambique, Mebiavanga Fernando –
CEM/ISCED, Luanda, Angola, Cristina Brito – Directora do CHAM, Centro de Humanidades, FCSHUNL/Uac, Portugal e Bettencourt Preto Sebastião Capece – Reitor da Universidade Zambeze/Moçambique.

15h00-16h15 – CONFERÊNCIAS (GMT+1/Horário de Portugal)
Moderador: Hilarino da Luz, CHAM, Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac, Portugal
Semiótica da cegueira: alteritas na academia
Martins Mapera (FCSH/Universidade Zambeze, Moçambique)
Para uma travessia tecnológica e transcultural. O caso do Museu Virtual da Lusofonia
Moisés de Lemos Martins (CECS, Universidade do Minho, Portugal)

  1. Ensino das Humanidades como Literacia para uma Justiça Económica e Social – Rosário Couto Costa (ISCTE-IUL, Portugal)
  2. Tempo, Espaço e Covid-19. A “nova normalidade” e a incerteza no futuro – Vítor de Sousa (CECS, Universidade do Minho, Portugal)
  3. Retratos Femininos: construção social e representação da mulher nos manuais escolares de Portugal e Moçambique – Alice Balbé & Elaine Trindade (CECS, Universidade do Minho, Portugal)
  4. Violência contra a mulher: práticas e representações sociais – Adelino Esteves Tomás (Universidade Save, Moçambique)
  5. Práticas Artísticas e Performáticas Contemporâneas na Salvaguarda de Tradições Orais – Maria Isabel Lemos (ISCTE-IUL, Portugal)
  6. Quem quer ser apagada? Representações de género nos manuais escolares – Rosa Cabecinhas (CECS, Universidade do Minho, Portugal)
  7. 18h00 – 21h50
    Temática II: Literatura, Língua, Culturas e Comunicação Intercultural

16h15 – 18h00
Temática I: Sociologia, Antropologia, Filosofia e Comunicação Intercultural
PAINEL I – Moderador: Luís Rodrigues (Universidade de Santiago, Cabo Verde)

PAINEL II – Moderador: Feliciano José Pedro (Universidade Rovuma, Moçambique)

  1. A representação da cidade de Luanda e o reconhecimento da identidade angolana no período pós-colonial, em Nós, os do Makulusu, de José Luandino Vieira
  2. Juliana Santos Menezes (Instituto Federal da Bahia, Brasil)
  3. Os lugares romanescos como signos da tragédia em As Naus, de António Lobo Antunes – Cristóvão F. Seneta (FCSH, Universidade Zambeze, Moçambique
  4. Arandir: o anti-herói subalterno brasileiro – Maíra Neiva Gomes (Universidade Estadual de Minas Gerais, Brasil)
  5. A voz de Moçambique: discursos sobre literatura, arte e censura (1961 -64) – Noemi Alfieri (CHAM – Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac)
  6. O Cinema como mundividência Cultural e Social: diálogos intersemióticos através da Literacia Fílmica – Luís Miguel Cardoso (Instituto Politécnico de Portalegre, Portugal)
  7. Problematização da periodização da literatura cabo-verdiana – Hilarino da Luz (CHAM – Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac, Portugal)
  8. Cinema, memória e imaginário: o caso das coproduções em língua portuguesa – Isabel Macedo & Moisés de Lemos Martins (CECS, Universidade do Minho, Portugal)

19h45-20h00 Debate
PAINEL III
Moderador. Nobre Roque dos Santos (Universidade Pedagógica de
Maputo, Moçambique)

Dia 28 de maio de 2021

14h00-14:40 CONFERÊNCIA
Moderadora: Moemi Alfieri (CHAM, Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac, Portugal)
Lisboa pós-colonial e as invisibilidades da memória a partir dos Contos de Lisboa de Mónica de Miranda: Contributos para uma Reflexão sobre Literacia para uma maior Justiça Económica e Social – Margarida Rendeiro (CHAM, Centro de Humanidades, FCSHUNL/Uac / Universidade Lusíada de Lisboa, Portugal)

14h40 – 17h40
Temática II: Literatura, Língua, Culturas e Comunicação Intercultural
PAINEL I
Moderador: João Luís Lisboa (CHAM, Centro de Humanidades, FCSHUNL/Uac, Portugal)
PAINEL II
Moderadora: Elizabeth Olegário (CHAM, Centro de Humanidades, FCSHUNL/Uac, Portugal)

17h40 – 19h15
Temática III: Cultura, Economia e Desenvolvimento Humano
PAINEL I
Moderador: Manuel Gama (CECS, Universidade do Minho, Portugal)

PAINEL II
Moderadora: André Victorino Mindoso (Universidade Rovuma, Moçambique)

19h15 – 20h25
Temática IV: Justiça, Direitos Humanos, Democracia e Cidadania
Moderador: Arcenio Cuco (UniRovuma, Moçambique)

20h25-21h00 – RECITAL DE POESIA
Movimento Artístico e Literário Lev´Arte, Angola
Associação Literária de Santo Antão (ALSA), Cabo Verde

21h00-21h30 – SESSÃO DE ENCERRAMENTO
Fernando Pessoa (Movimento Literário e Artístico Lev´Arte, Angola)
Rosa Cabecinhas (CECS, Universidade do Minho, Portugal)
Esperança Luieca Ferraz (UL-FaArtes, Angola)
Elizabeth Olegário Bezerra da Silva (CHAM, Centro de Humanidades, FCSHUNL/Uac, Portugal)
Noemi Alfieri (CHAM, Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac, Portugal)
Hilarino da Luz (CHAM, Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac, Portugal)
Pedrito Cambrão (Universidade Zambeze, Moçambique)
Ana Maria Martinho (Coordenadora da Linha de Estudos Africanos / CHAM, Centro de Humanidades, FCSH-UNL/Uac, Portugal)

Investigadores do Projeto participam de atividades do Dia Mundial da Língua Portuguesa

O Dia Mundial da Língua Portuguesa foi proclamado o dia 5 de maio pela 40.ª Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em novembro de 2019. A escolha do dia está articulada com a resolução de 2009 do Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) sobre a Instituição do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP.

Uma série de atividades está a ser organizada para este dia.

Confira a programação do dia 5 de maio de 2021 em que os investigadores do Projeto estão envolvidos:

Seminário Dia Mundial da Língua Portuguesa, Centro Cultural Vila Flor, Guimarães. Organização: Câmara Municipal de Guimarães, Universidade do Minho e Instituto Camões. A partir das 9h (GMT+1, Portugal)

Convidado: Moisés de Lemos Martins no painel “A Língua como património vivo” (coordenação: Vítor Ramalho – UCCLA), às 15h.

  • O papel das organizações da Sociedade Civil, Nazim Ahmad – Fundação Aga Khan
  • O Museu da Língua de S. Paulo – Brasil – Secretário de Estado da Economia Criativa do Estado de São Paulo Diretora do Museu da Língua de São Paulo
  • O Museu Virtual da Lusofonia da Universidade do Minho – Moisés Martins (Universidade do Minho)

Ciclo de Debates Promoção e Difusão da Língua Portuguesa: Estratégias Globais e Políticas Nacionais. Organização: Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Sessão solene às 10h seguido pelo Painel (GMT+1, Portugal). Aceda em https://url.cplp.org/Portugues-LinguaCulturaCienciaInovacao

Convidada: Sheila Khan no painel “Português, língua de cultura, ciência e inovação”

  • Sessão Solene: Francisco Ribeiro Telles, Secretário Executivo da CPLP, Eurico Monteiro, Presidência cabo-verdiana em exercício da CPLP; Entrega do Prémio Fernão Mendes Pinto (intervenção da AULP e do galardoado); Entrega do Prémio da UCCLA (intervenção do Secretário-Geral da UCCLA e do galardoado); e Momento de música, com o cantor angolano Paulo Flores.
  • Painel Português, língua de cultura, ciência e inovação
  • António Sampaio da Nóvoa, Embaixador de Portugal junto da UNESCO
  • Amélia Dalomba, escritora angolana
  • Marco Lucchesi, Presidente da Academia Brasileira de Letras
  • José Luís Hopffer Almada, jurista, poeta e ensaísta cabo-verdiano
  • Sheila Khan, Profª Universitária/investigadora moçambicana
  • João Ima-Panzo, Diretor de Ação Cultural e Língua Portuguesa, Moderador

A Língua Portuguesa na Astronomia Dia Internacional da Língua Portuguesa  –  PLOAD, Portuguese Language Office of Astronomy for Development/Grupo Lusófono de Astronomia para o Desenvolvimento. Organização: PLOAD , estabelecido pela União Astronómica Internacional e pelo seu Gabinete de Astronomia para o Desenvolvimento (GMT+1, Portugal). Transmissão ao vivo pelo Facebook na página do PLOAD –  https://www.facebook.com/PLOAD.IAU

Convidado: Vítor de Sousa para falar sobre “Identidades transnacionais e transculturais. Pós-colonialidade, lusofonias e interculturalidade. O caso do Museu Virtual da Lusofonia. O português como língua de ciência”, às 14h – Lisboa / 10h – Brasília / 12h – Praia / 15h – Maputo.

  • Hélio Rocha, presidente da Sociedade Astronómica Brasileira, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil
  • Eliana Inge Pritsch, professora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS/BR, doutorada em Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa e Literaturas Luso-Africanas, pela UFRGS, Brasil
  • Paulino Lima Fortes – Universidade de Cabo Verde, Cabo Verde
  • Teresa Manjate, Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique
  • Vítor Sousa – investigador CECS, Projeto Cultures Past&Present e Museu Virtual da Lusofonia, Portugal

II Conferência Internacional sobre Cultura & Sociedade será realizada online

A II Conferência Internacional sobre Cultura e Sociedade – Que literacia(s) para a Justiça Económica e Social? será realizada nos dias 27 e 28 de maio de 2021, através da plataforma Zoom.

Os investigadores do projeto Cultures Past & Present Martins Mapera, FCSH/Universidade Zambeze e Moisés de Lemos Martins, CECS/Universidade do Minho, são os palestrantes principais do primeiro dia.

A Conferência é uma realização conjunta do CHAM – Centro de Humanidades/NOVA FCSH-UAc; CIJES – Centro de Investigação Jurídica, Económica e Social/Universidade Zambeze, Moçambique; Centro de Estudos Multidisciplinares (CEM) Eduardo Augusto Kambwa do Instituto Superior das Ciências da Educação de Luanda (ISCED-Luanda); Movimento Literário e Artístico Lev’Arte, ISCTAC, Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Alberto Chipande, Moçambique e o Centro de Estudos da Comunicação e Sociedade (CECS) e o Projeto Cultures Past&Present.