Seminário Internacional Memória, diversidade e identidades: desafios às relações interculturais no século XXI

No próximo dia 5 de novembro terá lugar no Auditório da Biblioteca Central da Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, o Seminário Internacional Memória, diversidade e identidades: desafios às relações interculturais no século XXI.

Este seminário tem como objetivo fundamental promover a partilha de trabalhos científicos e a reflexão crítica sobre o papel desempenhado pelos produtos culturais, artísticos e educacionais – coleções de museus, manuais escolares de história e cinema – na reconstrução da memória cultural. Constitui, ainda, o pré-evento do V Congresso Internacional sobre Culturas – Que cultura(s) para o século XXI?, que decorre na UBI de 6 a 8 de novembro de 2019.

Organizado em parceria com a Universidade da Beira Interior, é da responsabilidade do projeto Memories, cultures and identities: how the past weights on the presente day intercultural relations in Mozambique and Portugal?,  financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia e pela Fundação Aga Khan para o Desenvolvimento.

Esta iniciativa conta com a presença de investigadores e oradores convidados como Eliseu Mabasso (Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique), Martins Mapera (Universidade de Zambeze, Moçambique), José Carlos Venâncio (Universidade da Beira Interior, Portugal), Moisés de Lemos Martins e Rosa Cabecinhas (Universidade do Minho, Portugal), a artista e investigadora Catarina Simão, entre outros.

Entrada livre.

Seminário Permanente debate Responsabilidade Cívica e Histórica dos Censos

Em tempos de grande vibração ao encarar, embora com relutância, as questões do racismo, de discriminação social e cultural, e as quotas para as minorias sociais, na sociedade portuguesa e não só, os Censos procuram ajudar a questionar, debater e abrir horizontes de reflexão.



O debate terá lugar no dia 19 de outubro, às 16h00, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva e contará com a participação de Cristina Roldão (Centro de Investigação e Estudos de Sociologia), Beatriz Gomes Diaz (Associações de AfroDescendentes), Bruno Sena Martins (Centro de Estudos Sociais), Pedro Bacelar (Assembleia da República), Miguel de Barros (Centro de Estudos Sociais Amílcar Cabral) e Moisés Martins (Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade).

A moderação ficará a cargo de Rosa Cabecinhas e Sheila Khan, ambas do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade.

Seminário: Refugees and refugeedom in world history, 1945 to 1975

O Projeto Exchange, financiado pelo European Research Council, sediado no Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, convida para o seminário “Refugees and refugeedom in world history, 1945 to 1975”, proferido por Peter Gatrell, da Universidade de Manchester, no dia 17 de outubro de 2019.

O seminário irá decorrer às 14 horas, na Sala de Atos do Instituto de Ciências Sociais, na Universidade do Minho, em Braga. A entrada é livre, sem necessidade de inscrição prévia.

Peter Gatrell é docente no Departamento de História da Universidade de Manchester. Os seus livros incluem uma trilogia sobre a história dos refugiados: A Whole Empire Walking: Refugees in Russia during World War 1 (Indiana University Press, 1999), Free World? The campaign to save the world’s refugees, 1956-1963 (Cambridge University Press, 2011), and The Making of the Modern Refugee (Oxford University Press, 2013). O seu último livro, The Unsettling of Europe: how migration reshaped a continent, será publicado pela Penguin Books e a Basic Books em Agosto de 2019. Em julho de 2018, iniciou um projeto de pesquisa colaborativa de três anos financiado pelo Conselho de Pesquisa de Artes e Humanidades do Reino Unido (HCRI), intitulado “Reckoning with refugeedom: refugee voices in modern history, 1919 to 1975”.

Tertúlia com exibição do filme “Enviado Especial”

No próximo dia 19 de julho, será realizada a exibição do filme “Enviado Especial” com a presença da realizadora Nalini Elvino de Sousa, investigadores e realizadores na Universidade Nova de Lisboa. A tertúlia organizada pelo projeto Cultures Past & Present, conta com as investigadoras Ana Cristina Pereira (CECS/UM) e Maria Paula Meneses (CES/UC), os realizadores moçambicanos Isabel Noronha e Camilo de Sousa e a moderação de Maria do Carmo Piçarra (ICNOVA-INL/ UAL).

O documentário é sobre a história de vida de Aquino de Bragança, intelectual e jornalista que lutou contra o colonialismo e pela paz e independência dos países africanos junto com líderes dos movimentos de libertação. A amizade com Samora Machel também é tratada no filme, selada pelo acidente de aviação em que os dois perderam a vida, em 1986.

A sessão terá lugar no Auditório 1, Torre B da FCSH-Universidade Nova de Lisboa (Av. de Berna, 26-C), às 17:30. Entrada livre.

Feira do Livro de Braga: apresentação do Museu Virtual da Lusofonia

No dia 4 de julho, pelas 18h30, os investigadores Vítor de Sousa, Isabel Macedo, Pedro Costa e Fernando Lopes debaterão as potencialidades do Museu Virtual da Lusofonia na (re)construção da memória coletiva.

Museu Virtual da Lusofonia é uma plataforma de cooperação académica, em ciência, ensino e artes, no espaço dos países de língua portuguesa e das suas diásporas, que se estende à Galiza e a Macau. Integra universidades, com projetos de investigação e de ensino pós-graduado na área das Ciências da Comunicação e dos Estudos Culturais, associações culturais e artísticas, na construção e no aprofundamento de uma comunidade lusófona. Pretende ser um mecanismo que convide à participação ativa dos cidadãos, na disponibilização de registos, no comentário às ‘obras’ preservadas no museu, na (re)construção de uma memória coletiva.

A Feira do Livro de Braga 2019 realiza-se de 28 de Junho a 14 de Julho. O certame terá lugar na ‘Avenida Literária’ situada na rua Dr. Justino Cruz, Rua Francisco Sanches e no Largo São João do Souto, no centro histórico da cidade.

Prazo estendido para submissão de propostas ao V Congresso Internacional sobre Culturas

A chamada de trabalhos para o V Congresso Internacional sobre Culturas com o tema Que cultura(s) para o século XXI? foi prorrogado até dia 30 de junho de 2019.

O Congresso será realizado de 6 a 8 de novembro de 2019, na Universidade da Beira Interior, na Covilhã – Portugal, e conta com a parceria do projeto Cultures Past & Present –  Memórias, culturas e identidades: o passado e o presente das relações interculturais em Moçambique e Portugal.

Serão bem acolhidas as propostas de comunicação que se inscrevam no horizonte dos seguintes grupos de trabalho temáticos:

  • Comunicar Cultura
  • Projeto das Capitais Europeias da Cultura (CEC)
  • Cultura e expressões artísticas
  • Cultura, moda e estilos de vida
  • Modalidades de consumo na cultura contemporânea
  • Cultura, ambiente e desenvolvimento
  • Cultura e lusofonias
  • Cultura, género e sexualidade
  • Economias da cultura e economias criativas
  • Cultura, democracia e cidadania
  • Culturas, redes e digitalidades
  • Políticas e Gestão da cultura e da comunicação
  • Universidade, Conhecimento e Cultura

As propostas de comunicação poderão ser submetidas em Português, Inglês ou Francês.

Para mais informações sobre o evento e submissões acesse o website.

Seminário “A Lusofonia enquanto olhar pós-colonial”

O Seminário Permanente de Estudos Pós-Coloniais realiza no dia 17 de junho, pelas 14h30, na Sala de Atos do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, o seminário “A Lusofonia enquanto olhar pós-colonial: ranço colonial ou possibilidade intercultural?”, com o investigador Vítor de Sousa.

O investigador do CECS explica que “a lusofonia é uma palavra que surge na dicionarização de referência em 1950, derivando de «francophonie». Lusófono deve ter-se inventado, antes, por analogia com o francês «francofone», que data de 1949 (…). A lusofonia é uma palavra que surge na dicionarização de referência em 1950”.

“A meu ver, ao contrário de ‘portugalidade’, que é marcadamente colonial, tendo a palavra sido mesmo cunhada entre os anos 50 e 60 do século XX, em pleno Estado Novo, a lusofonia é um conceito pós-colonial. É por isso que ligar um termo ao outro constitui um contrassenso (Sousa, 2014, 2015, 2017), já que a lusofonia não pode ser encarada, sob qualquer circunstância, com ‘portugalidade’, devido à associação ao slogan «Portugal do Minho a Timor»”, explica Vítor de Sousa.

“A lusofonia encerra, no entanto, algumas clivagens e, não obstante se afirmar que já tudo foi escrito, faltando apenas colocá-la em prática (Real, 2012), o termo não é consensual”, refere o investigador, alertando para o facto de que “deixar de considerar as diferenças entre histórias coloniais e processos de colonização pode levar a impor sobre um povo a narrativa pós-colonial de um outro tornando assim esse povo ainda mais invisível”.

O Seminário Permanente de Estudos Pós-Coloniais procura estabelecer um diálogo com o passado, não apenas num sentido textual e teórico, mas chamando e convocando vozes reais que ajudam a dialogar com as experiências coloniais e a sua reflexão no tempo pós-colonial das nossas sociedades globais. Assente numa dinâmica intercultural, resulta de uma parceria entre o CECS, o Mestrado em Sociologia da Universidade do Minho e o Projeto EXCHANGE.

“A ditadura portuguesa. Testemunho de presos políticos no filme 48”

No próximo dia 6 de junho, pelas 11h45, a investigadora Isabel Macedo ministrará a sessão “A ditadura portuguesa. Testemunho de presos políticos no filme 48” na Escola Carlos Amarante, em Braga. Será apresentado aos estudantes um excerto do filme 48, de Susana de Sousa Dias, seguindo-se um espaço para discussão do mesmo.


A atividade é uma ação conjunta do Museu Virtual da Lusofonia e do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, no âmbito do Plano Nacional de Cinema e do projeto Cientificamente Provável, aos quais o CECS se associou.

V Congresso Internacional sobre Culturas – Que cultura(s) para o século XXI?

Está aberta a chamada de trabalhos para o V Congresso Internacional sobre Culturas com o tema Que cultura(s) para o século XXI? até dia 15 de junho de 2019.

O Congresso será realizado de 6 a 8 de novembro de 2019, na Universidade da Beira Interior, na Covilhã – Portugal, e conta com a parceria do projeto Cultures Past & Present –  Memórias, culturas e identidades: o passado e o presente das relações interculturais em Moçambique e Portugal.

Serão bem acolhidas as propostas de comunicação que se inscrevam no horizonte dos seguintes grupos de trabalho temáticos:

  • Comunicar Cultura
  • Projeto das Capitais Europeias da Cultura (CEC)
  • Cultura e expressões artísticas
  • Cultura, moda e estilos de vida
  • Modalidades de consumo na cultura contemporânea
  • Cultura, ambiente e desenvolvimento
  • Cultura e lusofonias
  • Cultura, género e sexualidade
  • Economias da cultura e economias criativas
  • Cultura, democracia e cidadania
  • Culturas, redes e digitalidades
  • Políticas e Gestão da cultura e da comunicação
  • Universidade, Conhecimento e Cultura

As propostas de comunicação poderão ser submetidas em Português, Inglês ou Francês.

Para mais informações sobre o evento e submissões acesse o website.

O 25 de abril, a queda da ditadura e a ‘portugalidade’

A marcar a passagem do dia 25 de abril, o investigador Vítor de Sousa abordará do tema “O 25 de abril, a queda da ditadura e a ‘portugalidade’”, na Escola Secundária de Vila Verde, no dia 24 de abril, às 10h10.

 

Autor do livro “Da ‘Portugalidade’ à Lusofonia”, Vitor de Sousa é investigador e do projeto “Memories, cultures and identities: how the past weights on the present-day intercultural relations in Mozambique and Portugal?”, financiado pela FCT e pela Rede Aga Khan para o Desenvolvimento, e do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, da Universidade do Minho.